Services

0
Marcos Santos/USP ImagensNo acumulado do ano o IPCA 15 é de 6,38%, abaixo dos 9,42%, registrado no mesmo período de 2015


O índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) variou 0,26% em novembro ficando 0,07 ponto percentual (p.p) acima do computado em outubro, quando ficou em 0,19%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o resultado da prévia da inflação oficial de novembro foi o menor desde 2007, quando o indicador foi de 0,23%.

No acumulado do ano o IPCA 15 é de 6,38%, abaixo dos 9,42%, registrado no mesmo período de 2015. Ao ser considerado os últimos 12 meses, o índice ficou em 7,64%, mais uma vez abaixo ao registrado nos 12 meses imediatamente anteriores, em que o indicador foi de 8,27%.

O grupo saúde e cuidados pessoais teve alta de 0,68% em novembro, enquanto alimentos e bebidas tiveram queda de 0,06% e vestuário de 0,03%, informou o IBGE nesta quarta-feira (23). Segundo o relatório, o grupo de alimentos e bebidas mesmo a apresentar recuou no 0,06% ele foi menor que o indicador do mês de outubro, quando recuou 0,25%.

A retração resultou em queda nos preços dos alimentos, com destaque para o leite longa vida, que ficou 10,52% mais barato ao consumidor. Outros itens alimentícios que também se destacaram no mês foram: o feijão-carioca 11,84% mais barato, o feijão-mulatinho que teve queda no preço de 7,82%), o tomate com queda de 6,61% e a cenoura 4,31% mais barata no período.

Mesmo com o grupo em queda, alguns alimentos exerceram pressão de alta sobre o índice, especialmente açúcar cristal com alta de 3,73%, os pescados com 3,91%, a batata-inglesa com 3,26%, a cerveja com 2,36% e as carnes 1,43% mais caras.

Não alimentos
Já a variação de preço no segmento de não alimentos o destaque foi para o etanol, cujo preço do litro ficou 7,29% mais caro, exercendo o mais elevado impacto individual no mês de 0,07 p.p.. Ainda segundo dados divulgados pelo IBGE, chama atenção, também, o item multa (de trânsito) pelo expressivo aumento de 23,72%, reflexo do reajuste médio de 53% que entrou em vigor no País em 1º de novembro.

Outros itens que influenciaram o resultado do IPCA 15 no mês foram: seguro de veículo com alta de 2,61%, os planos de saúde com alta de 1,07%, custos com empregado doméstico com 0,87%, mão de obra para pequenos reparos e os artigos de higiene pessoal, ambos com alta de com 0,87%. O emplacamento e licença de veículos com alta de 0,80% no período, o cabeleireiro com 0,67% e a gasolina com alta de 0,59%.


Fonte - IG

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.